BOM NATAL !


Nesta época natalícia desejamos a todos os nossos clientes um feliz natal e um ano de 2011 em grande.
Fica um apelo, ajudem a mudar mentalidades, ajudem a abrir as mentes e os corações que não sabem o que é ter um animal e como se devem tratar.
Agradecemos a vossa confiança e todos os miminhos que dão diariamente aos vossos animais.

Digam lá que eu não sou uma gatinha fofa?


Aqui vai mais fotos ...










Mais um sinal que os animais são grandiosos

Proptose do globo ocular



Proptose do globo ocular é a deslocação do olho, para a frente e para fora da órbita ocular, com simultâneo encarceramento pelas pálpebras.
É bizarro, mas relativamente frequente em algumas raças caninas, quando sujeitas a traumas como atropelamento ou lutas com outros cães. É o caso das raças braquicefálicas ( com o focinho achatado) como o Pug, o Shi-tzu e o Pequinês, em que a órbita é menos profunda e a abertura palpebral é maior, facilitando a saída do olho.
O que fazer?
Evitar que o animal toque no olho com as patas, humedecer o olho com compressas humedecidas com soro fisiológico e correr para o veterinário. É urgente ! Quanto mais depressa o olho for recolocado mais hipóteses há de manter um olho com visão. Apesar de apenas em 20 % dos casos isto aconteça.
Em muitos casos consegue-se manter o olho embora se torne um olho sem visão. A perda de reflexo pupilar, rotura dos músculos orbitais, rotura da córnea e a lesão do nervo óptico são mau prognóstico .
Pode ser necessário remover mesmo o olho definitivamente.
Mas em que consiste a cirurgia de recolocação do olho ?
É relativamente fácil. Após a limpeza e lubrificação do olho , é necessário muitas vezes fazer uma incisão no canto lateral da pálpebra, de forma a facilitar a entrada do olho, que está muito inchado e aprisionado pelas pálpebras. Depois do corte, com uma pinça tenta-se inverter e puxar as pálpebras para a frente, ao mesmo tempo que se empurra o olho para dentro, suavemente. Depois é suturar as pálpebras, deixando aberto só um bocadinho para a colocação de medicação tópica necessária.
São exemplos de sequelas, a cegueira, a queratoconjuntivite seca e úlcera da córnea.

CÃES AJUDAM NA APRENDIZAGEM ESCOLAR




Um estudo realizado por Lori Friesen na Universidade de Alberta, Canadá, demonstrou que ao contrário de atrapalharem, os cães podem ser muito úteis aos mais novos nos estudos.
Ficou demonstrado que um grupo de crianças que estudou, durante 12 semanas,na companhia de cães atingiu melhores resultados que os restantes alunos. A investigação decorreu na escola de ensino básico de Sherwood Park e acompanho a turma de alunos entre os 6 e os 7 anos.
Lori Friensen conseguiu provar que, na companhia dos cães Tango e Sparky, as crianças se sentiam mais à vontade e se libertavam mais facilmente, lendo com maior fluidez e facilidade de compreensão.

Animais geriátricos...cuidados a ter


Felizmente cada vez mais entram na nossa clínica animais velhotes, isto porque os cuidados prestados pelo dono são cada vez maiores.
Para a sua longevidade contribuem o local em que vivem ( os velhos latões foram substituídos por canis ou mesmo passaram a ocupar um espaço na casa do dono), a alimentação (os restos são cada vez mais substituídos por rações equilibradas), e os cuidados médicos profiláticos como as desparasitações e as vacinas.
Mas como é óbvio com a velhice começam a surgir doenças relacionadas com a idade. Como são exemplo, a surdez, as cataratas e o glaucoma, a incontinência urinária, os problemas renais, as alterações cardíacas, a diabetes, o hipotiroidismo, as alterações no trânsito intestinal, as alterações na próstata, os tumores de mama, enfim aqueles problemas que são também frequentes nos humanos com alguma idade.
A maioria dos problemas pode ter solução se diagnosticados a tempo, permitindo manter a qualidade de vida dos nossos companheiros.

Ficam aqui alguns conselhos úteis:
  • Realize uma consulta check-up anual;
  • Forneça uma alimentação adequada à sua condição clínica ( existem rações específicas para geriátricos);
  • Se obeso, é necessário emagrecer, algo que se consegue com ração de dieta e exercício controlado;
  • Não descuide os protocolos de vacinação e desparasitação, lembre-se que o sistema imunitário está mais fraco.
Esteja atento a sinais como:
  • Aumento do consumo de água e /ou da micção;
  • Vómitos ou diarreias persistentes;
  • Perda de apetite ou peso;
  • Alterações de comportamento (cansaço,inquietação,desorientação,etc.);
  • tosse;
  • massas ou nódulos anormais;
  • dificuldades na locomoção.
Com que idade considero o meu animal velho ?

É variável, consoante o tamanho do animal e até mesmo a raça.

Gatos e cães pequenos - 9 anos
Cães médios - 8 anos
Cães grandes - 7 anos
Cães gigantes - 6 anos.

Qualquer dúvida contacte-nos.

Lucky...o sortudo!

Este cachorrinho tão fofo apareceu sozinho,cheio de pulgas e carraças, junto da casa da Ana.
A Ana apesar de já ter dois amigos inseparáveis, o Kenai e o Simba, não conseguiu deixar este cãozinho abandonado à sua sorte. Levou-o para casa e junto com a família trataram dele, dando-lhe o nome de Lucky, um cãozinho que a partir de agora terá sempre carinho.
O Kenai e o Simba aceitaram o novo amigo sem problemas, e a Ana tem mais uma mascote lá em casa.
Hoje, como é uma dona responsável e não quer lhe aconteça nada, trouxe o Lucky para ser vacinado.Portou-se muito bem.
Vejam as fotografias:


UMA ASSISTENTE MUITO ESPECIAL !!

A nossa Clínica tem um novo elemento na sua equipa. Esta novidade não o seria se a nossa nova assistente não tivesse apenas.....11 anos, isso mesmo 11 anos. A Catarina, assim que começaram as férias grandes, deslocou-se à nossa Clínica e pediu-nos se podia vir ajudar e ver como era o dia a dia no nosso Centro Veterinário.

A Catarina é muito atenta, responsável e extremamente pontual, gosta de observar e ajudar naquilo que pode, é um bom exemplo para todas as meninas da idade dela. Desde já, agradecemos à Catarina pela sua ajuda e que continue a fazer o bom trabalho que tem feito até agora.




A Catarina em plena acção.....




Mais umas fotos bonitas...










FAÍSCA, UM CÃO COM MUITA SORTE!!

Este é o Faísca, um cão cheio de energia, brincalhão, amigo das crianças e diga-se um pouco tonto, mas isso é da idade, porque pode não parecer mas ainda é novinho.
Mas, antes de ser um cão assim tão bem parecido o faísca teve um acidente de percurso e quando se cruzou no nosso caminho estava muito mal, pois tinha sido atropelado por um carro.

O Faísca veio ao meu encontro como que a pedir ajuda e vendo o estado em que estava teve de ser transportado para a nossa clínica para ser tratado e para ser submetido a uma cirurgia, pois tinha a pata esquerda de trás fracturada e com um osso exposto.
Depois de cerca de um mês de muita paciência, muito trabalho e muito carinho, a recuperação da sua pata tinha chegado ao fim e estava na hora de retirar a tala de vez e ver se a sua pata tinha recuperado bem.....como terá ficado o Faísca????




video

INSOLAÇÃO EM CÃES



Com os dias tão quentes convém alertar para um problema grave e muitas vezes fatal,a insolação.
Lembramos os muitos cães que no nosso país, irresponsavelmente, estão debaixo de um latão, acorrentados, sem a possibilidade de sombra alguma. Dias tão quentes como os últimos podem ser fatais.
Se tem o seu cão no exterior, arranje uma sombra e um local fresco para a sua mascote.Tenha sempre água à disposição. Lembre-se que o seu cão, só por ser animal, não é mais resistente que o Homem. Conseguiria estar confinado num espaço sem sombra, horas a fio, debaixo de mais de 36ºC ?
Se tiver que deixar o seu cão no carro, procure um local fresco e com sombra. Os 5 cm de janela aberta não chegam.
A transpiração é a forma que usamos para baixar a temperatura do nosso corpo, no cão é diferente. Quando vê um cão a arfar, não quer dizer que esteja cansado, ele está a libertar calor, e desta forma a impedir que a sua temperatura suba drasticamente. Se o deixar num ambiente fechado e quente, o seu cão começa a respirar fortemente para compensar a temperatura quente e o pouco oxigénio. Esgota muito rapidamente o volume de ar disponível,começando a respirar ar já expirado,rico em dióxido de carbono e pobre em oxigénio. Deixa de ser capaz de auto-regular a sua temperatura, que pode chegar facilmente aos 41ºC. Começa a ficar atordoado,saliva bastante, respira cada vez mais rápido, começa mesmo com tremores ou convulsões. O seu organismo está em choque e a morte a um passo.

O que fazer perante estes sinais ?
  • Retire o cão do local quente.
  • Molhe o animal com água morna progressivamente arrefecida, ou com água fresca, num local bem ventilado,até normalizar a temperatura.
  • De seguida, dirija-se ao veterinário para ser avaliado.
A melhor arma, mais uma vez , é a PREVENÇÃO !

Cães com problemas cardíacos ou respiratórios, cães obesos, ou de raças braquicéfalas ( como o Boxer , o Pequinês e o Bulldog) são mais predispostos.
Também os cães grandes ,fechados num carro, mais facilmente saturam o ar disponível.


Qualquer dúvida, não existe em contactar-nos.

DILATAÇÃO-TORÇÃO GÁSTRICA EM CÃES

É uma patologia em que ocorre dilatação do estômago seguida da torção deste sobre si mesmo, agravando a fermentação e o aprisionamento de gás e alimento no seu interior.
Requer diagnóstico rápido e preciso, para intervenção cirúrgica imediata, visto que pode provocar a morte em 6 a 12 horas. A taxa de mortalidade sem cirurgia é de 100%.


A causa desta patologia permanece desconhecida mas existem factores que parecem predispor ao problema, tais como:
  • Exercício vigoroso após a refeições;
  • Dietas muito fermentáveis ( feijão,grão,rações com pouca fibra);
  • Uma única refeição diária;
  • Aerofagia (engolir ar) provocada por stress, ingestão de água por mangueira, etc.
Ocorre maioritariamente em raças grandes ou gigantes com tórax profundo como o Dogue Alemão, São Bernardo, Pastor Alemão, Labrador, Setter, Rottweiller, entre outras.
O risco aumenta com a idade, mas cães jovens também podem sofrer desta patologia.
Com a rotação do estômago vai haver obstrução do cárdia e do piloro , (esfíncteres do estômago) tornando-se o estômago cada vez mais dilatado. Além do estômago ocorre a torção do baço e dos seus vasos, levando à congestão do baço e necrose da parede gástrica. A dilatação gástrica diminui o fluxo da veia cava e veia porta. Diminui assim o retorno venoso e logo o débito cardíaco. A estase sanguínea e a hipóxia (falta de oxigénio) dos tecidos conduz ao aumento das endotoxinas bacterianas. O animal entra em choque profundo e morre.

Os sinais típicos desta patologia são:
  • Aumento agudo do volume abdominal;
  • Dificuldade em vomitar (tentativa atrás de tentativa);
  • Flatulência;
  • Hipersalivação;
  • Intranquilidade e depressão.
Perante estes sinais clínicos deve dirigir-se o mais rápido para um centro veterinário. Cada minuto conta!
Pode ainda haver só dilatação do estômago sem torção, facilitando muito a terapêutica e o prognóstico.
Neste problema é necessário estabilizar o animal com fluidoterapia agressiva para corrigir as alterações metabólicas e electrolíticas, seguido de cirurgia urgente. A taxa de mortalidade de animais tratados cirurgicamente mesmo assim é elevada.

O melhor é sempre a prevenção.

Dê uma boa ração ao seu animal e nunca de uma só vez. Deve repartir em duas doses diárias.
Evite que o cão salte ou corra logo a seguir a comer ou beber.
Qualquer dúvida, não hesite em contactar-nos.

NÃO ABANDONE! ADOPTE COM CONSCIÊNCIA!



PARA RIR E DESCONTRAIR !!!!!!

video

Declaração dos Direitos dos Animais

DECLARAÇÃO DOS DIREITOS DOS ANIMAIS
PORQUE ELES MERECEM!!


video

Gosto do meu animal porque ...



E agora um desafio para os mais pequenos..

Se és criança e achas que tens um animal de estimação fora de série...

Escreve uma composição sobre ele e envia para a nossa clínica .

As melhores composições irão ser publicadas no nosso blogue e na nossa clínica.


Se ensinarmos às crianças de hoje como é importante respeitar os animais, teremos uma sociedade muito melhor no futuro.

A grandeza de uma nação e o seu progresso moral podem ser julgados pelo modo como tratam os seus animais
Mahatma Ghandi

Nota: Podes enviar para o nosso email, pelo correio ou entregar na clínica.

A nossa morada é : Centro veterinário Sra de Belém, av.heróis do ultramar ,Lt 4,nº177
3100-462 Pombal

DIABETES MELLITUS EM CÃES


Sim, os cães também têm diabetes.Aliás é uma patologia endócrina, cada vez mais frequente.
Na diabetes mellitus a glicose (açúcar) sanguínea em jejum encontra-se acima dos valores normais para a espécie (maior que 125 mg/dl), assim como a glicose excretada na urina também está aumentada (glicosúria).
Isto deve-se à falta de insulina em circulação, pela destruição das células do pâncreas responsáveis pela sua produção. Ou seja, todos os cães com diabetes são insulinodependentes.
A insulina é fundamental para a entrada de glicose dentro das células, para que estas possam funcionar.
Sem a insulina, o açúcar começa a acumular-se no sangue(hiperglicémia).
Começa haver sobrecarga renal com a glicose ,os túbulos renais são incapazes de a reabsorver, sendo excretada na urina(glicosúria).Ocorre então um fenómeno que se chama diurese osmótica,em que há perda de muita água pela urina, para compensar a grande concentração de açúcar fora dos túbulos renais. Assim, existe poliúria (aumento do volume urinário ).
Para compensar, e de forma a não desidratar, o animal bebe muita água, a chamada polidipsia.
As células famintas, sem a glicose, pedem ao hipotálamo mais comida, e como tal o animal tem sempre muita fome (polifagia).
Como a glicose não chega ás células ,o organismo começa a usar outras fontes de energia, como as gorduras e as proteínas, daí o animal perder peso ,embora tenha muito apetite.

Resumindo , os 4 sinais clássicos da diabetes são:
  • Urinar com muita frequência
  • Beber muita água
  • Apetite aumentado
  • Perda de peso
Muitas vezes estes sinais passam despercebidos ao proprietário ,chegando à clínica em estado grave,muitas vezes já com cataratas.
A maioria dos cães têm entre 4 e 14 anos, no momento de diagnóstico.
As fêmeas são mais afectadas que os machos.
Existem raças mais predispostas , como é exemplo:
  • Samoyedo, Spitz
  • Bichon
  • Pastor alemão
  • Labrador retriever
  • Cocker spaniel.
Muitos são os factores predisponentes para a diabetes em cães, como por exemplo:
  • Obesidade
  • infecções
  • outras doenças endócrinas.
  • cio
  • administração de algumas drogas
É uma doença que exige muita paciência por parte dos proprietários, essencialmente no primeiro mês após o diagnóstico da doença.Mas é possível dar qualidade e mais anos de vida ao animal doente.

São necessárias e fundamentais as seguintes medidas:
  • Administrar insulina injectável, uma ou duas vezes ao dia, para o resto da vida do animal
  • Ajustar a dieta de forma a evitar a obesidade e melhorar o controlo da glicémia
  • Promover exercício físico controlado, mantém o controlo glicémico ajudando a perda de peso e eliminando a resistência da insulina induzida pela obesidade.
Quanto mais cedo se detectar a doença mais fácil será ajudar o seu animal. Qualquer dúvida não hesite em contactar-nos.






Quem puder ajudar...


O canil da Marinha Grande está cheio de animais que estão a um passo de ser abatidos.Se puder adoptar, se souber de alguém que o possa fazer,ou mesmo se puder passar esta informação,os animais agradecem.
De email em email,pode ser possível ajudar.
Domingo, 4 de Julho,no parque dos Mártires do Colonialismo, entre as 10 e as 18 da tarde,apareça e leve um amigo.

Praganas, uma praga para os cães !

Com o verão, os dias crescem, as temperaturas aquecem e um passeio pelo campo com a sua mascote torna-se um momento de felicidade para ambos.
Com certeza não se esquece do desparasitante para as pulgas e carraças, mas existe outras inimigas a ter em atenção. Com o calor as ervas secam, sendo frequente as chamadas praganas também conhecidas por sarugas ou espigas, que se separam com facilidade dos seus caules agarrando-se imediatamente ao pêlo dos cães. Possuem umas minúsculas espículas no seu corpo, que lhes permite avançar sempre, dificultando a sua extracção.
Já retirámos praganas dos mais variados sítios, como do interior do nariz, dos ouvidos, espaços interdigitais, axilas, olho e até de dentro de testículo. São causadoras de infecções nos sítios mais inimagináveis do corpo.
Se um cão após um passeio no campo, começar a claudicar repentinamente, se começar a chorar e não deixar tocar nas orelhas, ou não conseguir abrir os olhos,pense nesta praga.
Previna! Evite passear em locais com vegetação seca. Se o fizer no final da caminhada, faça uma inspecção ao seu cão. Procure cuidadosamente nas patinhas,entre os dedos e por baixo da almofadinha plantar. Não se esqueça de das orelhas, em especial cães com muito pêlo, como é o caso dos cockers.